A Pedagogia Waldorf é baseada na ANTROPOSOFIA, filosofia criada pelo austríaco Rudolf Steiner

A pedagogia Waldorf, é uma das metodologias que norteiam o trabalho da Festa e Brincar e para que você, nosso cliente, conheça um pouco mais do que está por trás dela, trouxemos um texto, elaborado pelo jardim das amoras, afim de abastecer-lhes com mais informações!


"Através de uma minuciosa observação do ser humano, esta pedagogia nos permite realizar um profundo estudo do desenvolvimento infantil, não apenas no âmbito cognitivo e intelectual, mas também no âmbito físico-corporal e sentimental-emocional.


Assim, dentro da prática pedagógica, cultiva-se o SENTIR por meio da abordagem artística constante; incentiva-se o QUERER (agir) através das atividades corpóreas; e o PENSAR vai sendo cultivado desde a imaginação dos contos de fadas e histórias no jardim, até o pensar abstrato e rigorosamente científico no ensino médio.


A prática pedagógica torna-se coerente com cada etapa do desenvolvimento infantil, proporcionando o “alimento” necessário a cada fase, e contribuindo portanto, para uma formação integral e mais saudável da criança. Na Pedagogia Waldorf, o professor deve ser um adulto preparado e consciente da responsabilidade de educar, considerando a importância do exemplo para a educação, pois no primeiro setênio, os primeiros sete anos de vida, a criança aprende principalmente por meio do exemplo e da imitação de tudo o que está a seu redor. Nessa fase, a criança está desenvolvendo principalmente seus órgãos dos sentidos, que são as janelas do corpo para o mundo da natureza, do meio ambiente e da outra pessoa.


Os sentidos apoiam-se uns nos outros, inter-relacionam-se para que se entenda o grande “sentido” do mundo. Educar também é exercitar de forma saudável os sentidos das crianças e, portanto, todas as atividades do jardim de infância visam atender ao desenvolvimento sensório.


A proposta do Jardim das Amoras para a educação infantil é de proporcionar um ambiente onde crianças de 9 meses a seis anos de idade, possam descobrir o mundo através de um brincar saudável e seguro, dentro e fora da sala de aula, e cercadas pela natureza. As salas propiciam um ambiente parecido com o lar, com todo o acolhimento e aconchego. A convivência entre crianças de idades diferentes é estimulada com base no que acontece numa família em que irmãos mais velhos olham os menores, e estes se espelham nos maiores concentração com um verde gramado, muitas árvores, arbustos e flores, cordas, balanços e escorregadores compõem um ambiente propício para as crianças adquirirem o domínio do movimento e equilíbrio, fundamentais para um bom desenvolvimento cognitivo. É nesse âmbito dos movimentos que a criança pequena se desenvolve neurologicamente, preparando-se assim para a aprendizagem no ensino fundamental.


São desenvolvidas, então, atividades como: pular corda, correr, saltar, balançar, jogos rítmicos em roda, bem como tarefas domésticas como varrer a sala, lavar louça, pintar paninhos, etc


As caminhadas na natureza, as brincadeiras com água e areia, a direta observação das plantas, insetos e animais são o início do estudo das ciências. As noções matemáticas (contagem, relações quantitativas e espaciais, etc) são construídas pelas crianças a partir das experiências proporcionadas pelas interações com o meio, pelo intercâmbio com outras pessoas que possuem interesses, conhecimentos e necessidades que podem ser compartilhados.


As crianças têm e podem ter várias experiências com o universo matemático e outros que lhes permitem fazer descobertas, tecer relações, organizar o pensamento, o raciocínio lógico, situar-se e se localizar espacialmente.

As noções de quantidade, de tempo e de espaço são introduzidas através de diversos contextos. Pela manipulação e exploração de objetos e brinquedos, a criança pode descobrir inúmeras possibilidades associativas como empilhar, rolar, transvasar, encaixar. Pode explorar ainda as propriedades geométricas dos objetos como formas, tipos de contornos, etc.


A criança tem à sua disposição tocos de madeira, sementes de variadas formas, tamanhos e quantidades, areia, pedras, folhas, massa de modelar, brinquedos, que são instrumentos para essa exploração do mundo. Além das músicas onde estão inseridos números e quantidades, a letra proporciona a vivência do elemento rítmico, que por ser dividido em tempos (espaços de tempos) e estruturado em forma de compassos que se repetem e, em muito, favorece o desenvolvimento do pensar sequencial e lógico, que é base do raciocínio matemático.

Na jardinagem também estão sendo vivenciadas noções matemáticas referentes a grandezas e medidas. Marcação de tempo, noção de dia e noite; ontem, hoje e amanhã; dias da semana, os meses do ano;